quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

CORRIDA SAGRADA 2018




Matéria veiculada no http://www.jornalcorrida.com.br/runbrasil/2018/01/voltei-a-correr-por-jose-amancio/, edição de 15 de janeiro de 2017. a correr – por José Amâncio
Com as bênçãos do Senhor do Bonfim, depois de nove meses afastado das pistas, por conta do tratamento do câncer de boca que me atingiu, voltei a participar de uma corrida oficial, na semana passada, a tradicional Corrida Sagrada, em Salvador (BA), da qual venho participando sucessivamente desde o ano de 2010.
Ainda não estou totalmente restabelecido do tratamento ao qual me submeti, tendo feito 33 sessões de radioterapia e 5 de quimioterapia. Foram 46 dias de sofrimento e dor pois, sendo na boca, fiquei praticamente impossibilitado de me alimentar, em virtude dos ferimentos na região.
No entanto, com muita fé em Deus e em Todas as Nossas Senhoras, consegui atravessar o período crítico, sem muito me abater e, após 60 dias do término da aplicação dos medicamentos, fiz o exame apropriado (PET/CT) e foi constatado que o tumor foi debelado!
Durante a fase difícil à qual me referi, como a amiga Lucyana Hoisel estava fazendo os 800 km do Caminho de Santiago de Compostela, comemorando seu 50º aniversário, me ocorreu de fazer também o percurso na imaginação! Assim, para cada sessão de radioterapia eu considerava um trecho de uma cidade a outra, de acordo com os pernoites que ela fazia e postava no Instagram. Com isso, a dureza do tratamento foi amenizada. Em minha imaginação, comecei na cidade de Estela, distante 648 Km de Santiago. Foram 46 dias, de 09/05 a 23/06/2017, quando “cheguei” em Santiago!
Essa fase, em que pese o sofrimento físico, não foi a mais difícil e sim, os 60 dias seguintes, que fiquei esperando para fazer o exame para constatar se o tumor tinha sido extinto! É uma espera sofrida demais, pois o medo de o tratamento não ter sido eficaz é terrível! Mas, mesmo com o resultado satisfatório, o sofrimento não terminou! Veio a fase de recuperação, com muita dificuldade para me alimentar, em virtude da falta de saliva, boca seca e amarga, enjoos e também falta de paladar!
Os incômodos já melhoram consideravelmente, mas ainda estão presentes, de modo que correr se torna desconfortável e tenho que alternar com caminhada para poder molhar a boca e produzir saliva.
Além dos agradecimentos a Deus, Todas as Nossas Senhoras e Santa Rita de Cássia, agradeço o apoio incondicional de minha família, especialmente minha esposa Graciene Amâncio e ainda a minha fiel empregada doméstica, Marleide Conceição dos Santos, que se encarregou o tempo todo de preparar minha alimentação.
Não posso deixar de agradecer ao Dr André Leonardo, cirurgião de Cabeça e Pescoço, Dra Eni Devay, oncologist,a e Dra Patrícia Lambert, dentista que se encarregou de fazer as aplicações de laser, após cada sessão de radioterapia, o que possibilitou que minha boca ficasse menos ferida e a todos que de uma forma ou de outra me ajudaram nos momentos difíceis!
O tratamento do câncer é um horror, mas não tem jeito! Uma vez diagnosticado, não há alternativa! No meu caso os médicos me apresentaram duas opções: 1) cirurgia de grande porte, com alta morbidade e muitos dias na UTI; 2) radioterapia e quimioterapia, com extrema agressão na boca, prevendo enorme dificuldade para introduzir alimentos e inclusive possibilidade de ter de usar alimentação por sonda!
Eu perguntei aos médicos se alguém já tinha resistido a esse tratamento e, diante da resposta positiva, optei pelo mesmo. Então, eles me alertaram que não dependia deles, de minha família, de meus amigos, de ninguém, mas sim de mim, de meu esforço e que eu aparentava ter boa saúde, mas não podia esquecer que órgãos vitais (coração, rins, fígado, pâncreas, etc) tinham 73 anos!
Estou bem, à vista do que já estive e tenho fé absoluta de que vou ficar completamente curado. Para essa corrida treinei regularmente e planejava fazer os 6,8 Km em no máximo 60 minutos (fiz em 56 min) alternando corrida e caminhada! No entanto, me senti bem e consegui fazer mais de 80% da prova trotando. A primeira parada foi no posto de hidratação, no 4 km. Muito importante para esse desempenho foi a companhia de alguns amigos, especialmente o casal companheiro de treinos Ismael e Eliana, que me acompanharam o tempo todo. O ponto alto foi a subida da ladeira existente antes de chegar à Colina Sagrada (foto) quando vários amigos se postaram ao meu lado, gritando o meu nome! Foi emocionante!
A vida é assim: estamos bem, mas quando menos esperamos acontece uma tragédia. O importante é não se desesperar, acreditar na providência divina e lutar muito!


Esta foi minha 76ª Corrida Oficial e 81ª medalha conquistada. Como fiz referência no texto acima, foi a nona vez consecutiva que participo desse evento, tendo iniciado em 2010. Desta vez teve sabor especial. 

Esta corrida é SAGRADA! o nome não poderia ser mais apropriado, pois é a primeira corrida oficial de Salvador e todos corredores de rua, tanto da capital como do interior da Bahia e até de outros Estados, devotos ou não do Senhor do Bonfim, fazem questão de participar, para iniciar o ano com suas bençãos! 


O CALENDÁRIO de corridas de rua na Bahia começa oficialmente na 2ª quinta-feira após o Dia de Reis, que é comemorado pelos católicos no dia 06 de janeiro, quando é realizada a tradicional festa da Lavagem do Bonfim e a Corrida Sagrada abre as festividades.


Tradição mantida há mais de dois séculos, a Lavagem do Bonfim, que foi tombada pelo Instituto Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como Patrimônio Imaterial Nacional, é marcada pela forte presença do sincretismo religioso entre o catolicismo e o candomblé. Devotos do Senhor Bom Jesus do Bonfim e Oxalá se reúnem para festejar, prestar homenagens e pagar promessas no cortejo em direção à Colina Sagrada. Além do contexto religioso, a Lavagem do Bonfim também é caracterizada pela grande festa que acompanha e circunda o trajeto de fé.

Até o ano de 2008 em participava da festa da Lavagem do Bonfim e fazia o percurso caminhando, mas para "beber todas", do que propriamente por devoção. Nem sabia que havia uma corrida!

Minha primeira participação na Lavagem foi no ano de 1994, pois acabara de me aposentar como funcionário do Banco do Nordeste e já podia "farrear" num dia que não era feriado bancário.

Em 2009, foi a primeira vez que participei sem ingerir uma gota sequer de álcool, considerando que havia parado de beber exatamente no dia 11/10/2008.

Estava há apenas 3 meses sem beber e essa foi, por assim dizer, "minha prova de fogo", pois fiquei  até o final da tarde, bebendo só refrigerante "H2o".

Foi, não tenho a menor dúvida, a ajuda do Senhor do Bonfim que me deu forças para me mantar sóbrio e abandonar o vício. No ano de 2010 participei de minha primeira Corrida Sagrada.

Por se tratar de uma corrida muito especial para mim, pois foi neste circuito que estreei no mundo oficial de corridas de rua, faço questão de me apresentar “à caráter”, ou seja, vestido totalmente de branco.

Apesar de ser um percurso muito pequeno para os atletas de nível mais avançado (6.8 km), para mim é considerável, de modo que não negligenciei na preparação, mesmo com os problemas de saúde, possibilitando-me fazer o trecho abaixo de uma hora (00:57:34), conforme tempo oficial abaixo transcrito.

654º 529 JOS AMÂNCIO NETO M VETERANO 70 12 SPORT RUN CLUB 00:58:30 00:57:34 08:36 6,97 

Queridos amigos Ismael e Eliana, que treinaram comigo o tempo todo de preparação, fizeram o trajeto comigo e subiram a Colina Sagrada ao meu lado. 
 Querido amigo Antônio Fraga (Fraguinha), que subiu a Colina Sagrada ao meu lado, gritando meu nome!


Antônio Fraga e Dart Andrade
Agradecendo ao Senhor do Bonfim
81ª medalha conquistada
Amarrando uma fitinha do Senhor do Bonfim, fazendo tres pedidos
Queridos amigos, irmãos Bernardo e Cissa
Amigo Josué Porto, que gentilmente se encarregou de fazer estas fotos.

Velho amigo Zé Ramos (Raminho)
Subindo a Colina Sagrada.
Amigo Jaime Ribeiro
Colega do BNB, Camila e seu esposo Cleber.
Amigo Everaldo Pereira e Hector.
Casal Ismael e Eliana e querido amigo Fabiano.

Amigos José Arnaldo e Nelson Trindade


Manoel, Valdir Landulfo e Antônio Fraga.





Vamos q vamos.....
Vamos q vamos....
Vamos q vamos.....
Abraço carinhoso da amiga Dart Andrade



Abraço caloroso da amiga Luzia Bastos
Bené, Luzia Bastos e Antônio Fraga.
Alegria contagiante de Dart Andrade.

Julia Souza
Amigos "os asssombrados"! 

Até breve.....

segunda-feira, 8 de maio de 2017

MALDITO CIGARRO







 Chegada na 88ª São Silvestre em 31/12/2012







-- 

"QUANTA GENTE QUE RI TALVEZ CONSIGO, TRAZ UM ATROZ, ATÉ ENTÃO RECÔNDITO INIMIGO, MAS QUE NA VERDADE É UMA TERRÍVEL CHAGA CANCEROSA" (Adaptado do Soneto Mal Secreto, de Raimundo Correa). 

Quando comecei a escrever a história de minha vida, que na verdade reescrevi ao tomar a decisão de "Parar de Beber", foquei apenas nessa parte, dado a importância que ela representava naquele momento. 

Jamais podia imaginar que o CIGARRO, que havia deixado de fazer uso, naquela ocasião já há mais  04 anos, viria ser o VILÃO de minha vida. 

No último dia 28/04/2017, dia do meu aniversário de 73 anos, infelizmente tive que conviver com esses dois fatos extremamente contraditórios. De um lado, recebi centenas de  mensagens me parabenizando, elogiando minha saúde e, sobretudo, me enaltecendo pela excelente decisão que tomei de abandonar o vício do álcool, me tornar um corredor e adepto, incentivador, motivador, etc, no sentido de se fazer atividades físicas, máxime por pessoas da terceira idade. 

De outro lado, tive a confirmação dos médicos, de que sou portador de um câncer de boca, localizado na base da língua, causado sem sobra de dúvidas pelo uso do cigarro, hábito que cultivei por mais de 40 anos. Em alguns de meus escritos, sobre o fato de ter deixado de beber, citei o cigarro de forma simplória, com frase como essa: "fumava para beber e bebia para fumar". Pois bem: o CIGARRO veio cobrar a conta. 

Aí estou eu! Essa alegria que adquiri com a prática de corrida de rua, estampada nas fotos acima, eu vou "brigar" por mantê-la! Assim como na prática de atividades físicas, que se a pessoa não quiser realmente não consegue fazer, bem assim é o tratamento que vou me submeter nos próximos dias: se eu não me esforçar, não aguentar o sofrimento, perseverar, lutar, etc. não adianta o esforço da família, dos amigos, dos médicos!  Enfim, depende muito de mim e eu vou lutar... Será minha primeira maratona. Cada dia de tratamento, será como um km percorrido. São 33 dias úteis que terei de superar para atingir e cruzar a linha de chegada! 

Assim, o que peço aos amigos corredores de rua, que conheço pessoalmente ou não: e a todos que de uma forma ou de outra desejam o meu restabelecimento, REZEM POR MIM! para me dar força! Sou católico e Devoto da Mãe Aparecida, do Senhor do Bonfim, de Nossa Senhora de Fátima, de Santa Rita de Cássia e todos os santos que me protegem. Neste momento preciso de orações!!!

Este blog foi criado apenas para relatar minhas corridas oficiais. No entanto, dado a gravidade de meu caso, estou postando aqui este texto, para conhecimento de meus amigos corredores de rua. 

Muito obrigado a todos. 

 Até breve....